Vida de Bebê

Mudança com Bebê – Parte 4

Estou quase convencida de que deveria abrir uma empresa de mudanças, um blog sobre mudanças…enfim…

Acreditem se quiser, mas mudamos de novo. Para quem não sabe, minha última mudança foi a 5 meses e a penúltima, à 1 ano e 5 meses. Se você quiser entender melhor, clique Parte 1, Parte 2 e Parte 3.

Bom,  já falei tanto sobre mudanças com bebê, que acho que já perdeu a graça.

Nessa última mudança, O Gustavo deu o trabalho de sempre. Quebrou caixas, entrou em tantas outras e escalou as já cheias. Claro que a cada mês ele entende mais o que pode e o que não pode, mas o danadinho, muitas vezes, finge que não me escuta.

De qualquer maneira, tive que deixá-lo uns 2 dias seguidos com minha mãe para que eu pudesse me concentrar em tudo que deveria arrumar. É difícil ter foco em algo, quando se tem que parar a cada 5 minutos (bolacha, suco, leite, almoço, banho, brincar, ver o que está aprontando…e por aí vai).

Graças a Deus, a mudança não foi tão traumática como foi a primeira. Foi tudo bem rápido e terminamos o dia com eletricidade e gás!!! (É incrível como só percebemos como essas coisas são importantes, quando não as temos!!! – ainda mais depois que temos filhos!)

Como nas outras mudanças, deixei o Gustavo cedo na minha mãe e meu marido voltou para pegá-lo a noite!

Vai fazer 2 semanas que mudamos e ele está super adaptado. Principalmente se considerarmos que essa mudança foi mais radical: de casa para apartamento.

Eu gosto de casa, mas vou ser sincera em dizer que estou AMANDO não ter escada. É incrível como meu dia rende muito mais. Antes, eu passava a maior parte do dia no piso inferior com ele. E tudo que eu precisava fazer no superior, ela quando ele dormia. E por isso, me sentia presa demais. E deixá-lo sozinho, não tinha a menor condição. Não o Gustavo!!!!

Sem contar a diferença em relação à manutenção. Apto suja bem menos e é um sonho não ter que lavar meu quintal 3x por dia (nossa beagl, sujava o quintal várias vezes por dia e ela não aprendeu a fazer suas necessidades em um cantinho – aqui ela usa um pedacinho da varanda, e faz só no tapetinho higiênico).

Outro ponto positivo: ter piscina em casa é o sonho de muita gente, mas olha, com filho, se torna um problema (pelo menos pra mim!). Colocamos tela, mas o Gustavo descobriu que ela não afundava muito, só o suficiente pra ele poder brincar com a água. Imagina minha felicidade em não poder sair 5 minutos de perto, sabendo que ele estaria andando na tela. Ele arrancou a tela mosquiteiro da porta da sala, pra poder sair!

Eu morria de medo que acontecesse algo.

Sem contar a manutenção!!! Mesmo tendo uma pessoa que limpe, sempre temos que fazer algo.

Então, agora, eu desço, uso a do condomínio, subo e acabou!!! Foi um peso que tirei das minhas costas!!!

Bom, eu tenho muitos projetos e tudo parou de 1 ano e meio pra cá. Espero que agora, eu consiga retomá-los.

Bjs!

Vanessa