Papo de Mãe

Entrevista – Saúde na escola

Entrevista - Saúde na escola - Convertida

Para as mães que já tem filho na escola, ter a criança doente mais vezes no ano, vira quase que uma rotina. Para as que estão iniciando o ano escolar agora, fica a expectativa para ver como o filho irá reagir.

Para tirar algumas dúvidas, a pediatra Dra. Denise Bedoni, do Hospital Leforte, respondeu algumas questões para as leitoras do Licença Maternidade:
1 – Muitas crianças ficam mais doentes depois que começam a frequentar a escola. Isso é normal?
Sim, pois aumenta a exposição com vírus e bactérias mais comuns na faixa etária escolar, salientando a importância do seguimento ambulatorial com o pediatra para prevenção com vacinas.

2 – Existe alguma estatística que mostre um número que seria considerado normal da frequência com que as crianças ficam doentes durante o ano?
Não tenho números estatísticos, porem a evolução sazonal com prioridade nos meses de primavera e inverno para os quadros respiratórios e nos meses quentes de verão os quadros digestivos com gastroenterites.

3 – É adequado enviar a criança doente para a escola? Quais os sintomas que devem deixar os pais mais atentos?
Deve-se evitar enviar a criança doente, pois alem do contagio, a própria criança necessita de repouso, boa hidratação e controles básicos que no ambiente escolar é difícil realizar.

4 – Existem algumas doenças contagiosas muito comuns nessa idade, como a estomatite, por exemplo. Você poderia citar os sintomas dessa e de outras mais comuns, para que os pais saibam identificar mais facilmente, evitando de mandar os filhos para a escola e de transmitir para outras crianças?

· Estomatite :

Comumente conhecida como Aftas constitui lesões que se rompem e formam úlceras arredondadas com bordas elevadas bastante dolorosas, na boca e garganta. São feridas superficiais que causam uma sensação de queimação que prejudica até a fala e a mastigação e duram de 4 a 8 dias. Aparecem nas gengivas, nas bordas internas dos lábios e das bochechas e na ponta da língua.

Dicas:
– Evite o consumo de alimentos como: chocolates, nozes, amêndoas, temperos, queijos
– Respeite as regras de higiene bucal: escova de dente, fio dental e solução de flúor
– Procure um médico se as aftas aparecerem com frequência
– Alimente-se com nutrientes ricos em vitamina C e B. Essas vitaminas têm um efeito positivo no tratamento e prevenção das aftas.

Para proteger as outras crianças, não mande seu filho para a escola enquanto estiver doente.

· Gripe

É uma doença altamente infecciosa, transmitida por gotículas respiratórias que facilmente se disseminam no meio ambiente. Como muitas vezes não podemos evitar contato com pessoas infectadas, o melhor é tomar a vacina contra gripe, indicada pela OMS (Organização Mundial da Saúde) como a forma mais efetiva de prevenir a gripe.

A vacina é :
– Eficaz;
– Segura;
– Adequada para utilização em nosso meio.

Vacinação contra gripe
– Período Ideal para Vacinação: outono, antes da temporada de gripe;
– Duração da imunidade: aproximadamente um ano;
– Composição: recomendada anualmente pela OMS.

· Catapora (Varicela)

Mais uma vez, nesta época do ano, começamos a enfatizar a prevenção para a vacina da Catapora, principalmente em nossas crianças em idade escolar, onde a exposição ao vírus é bem maior.

A Varicela (Catapora), doença contagiosa comum da infância, resulta de infecção primária provocada pelo vírus da varicela-zoster. A Varicela em geral, é considerada doença infantil benigna. Porém, podem ocorrer graves complicações com risco de vida, principalmente em crianças mais debilitadas ou enfraquecidas. A vacinação abrangente e bem sucedida, contribuiu de forma significativa para a redução substancial da incidência das doenças infantis mais comuns nos últimos 50 anos.

É transmitida de pessoa para pessoa por meio de contato direto, com gotículas de saliva ou com o líquido do interior das vesículas, das lesões de pele, ou por meio das secreções do trato respiratório A erupção provocada pela Varicela, aparece na pele, em média, 14 dias após a infecção.
· Exantema Súbito (Roséola)

O Exantema Súbito, mais conhecido como Roséola, é uma doença viral benigna, de resolução espontânea, com transmissões por vias respiratórias, e com sintomas muito parecidos com os da Rubéola, porém mais suaves. Caracteriza-se por febre baixa, ínguas no pescoço e atrás das orelhas, sintomas gripais e pele avermelhada. O período de incubação é em torno de 10 dias após o contato com o vírus, sendo contagioso ainda por mais 7 dias após a manifestação da doença..

Assim como algumas doenças podem ser evitadas com vacina, não acontece o mesmo com a Roséola, pois não existe uma vacina específica preventiva para esse vírus. O tratamento é clínico com o uso de medicamentos sintomáticos como antitérmicos e analgésicos, mantendo-se um repouso relativo de 7 dias em casa. A maior incidência é na faixa etária dos 6 meses de vida até os 3 anos de idade.

· Meningite

Meningite é a infecção da membrana que envolve o cérebro e a meninge. Devemos suspeitar de uma meningite quando aparecerem os seguintes sintomas: Febre maior que 38o C, Mal estar e indisposição, Dor de cabeça, Náuseas, Vômitos e Rigidez da nuca (que pode ser melhor avaliada pelo médico). Na suspeita de meningite, é colhido o “exame de Líquor”, que é o líquido que envolve o cérebro. Este exame é o único modo de diagnosticar a meningite e diferenciar a viral da bacteriana para orientar o tratamento.

1 – MENINGITE VIRAL
Ocorre em casos isolados e evolui para cura sem tratamento (com evolução benigna sem sequelas), como uma gripe; tratando-se apenas os sintomas com analgésicos e antitérmicos e necessitando também de repouso. Não há vacina específica para as Meningites Virais.

2 – MENINGITE BACTERIANA
É aquela mais contagiosa e perigosa, necessitando de tratamento rápido com antibióticos. As inflamações da meninge quando causadas por bactérias, devem ser alertadas à população que teve contato com o foco (paciente contaminado) quando:
For causada pelo Meningococo, pelo Hemófilos B ou Pneumococo. Nesse caso, todas as pessoas que tiveram contato com o doente devem receber medicação por via oral por 3 a 5 dias como medida profilática (de prevenção).

3 – Como se adquire a doença?
Com o contato oral, pelas vias respiratórias, com uma pessoa contaminada pela Bactéria. Este contato pode ter ocorrido até dez (10) dias antes do início dos sintomas.

Tratamento
Hoje existem vacinas eficazes contra as Meningites: Meningocócica C, Hemófilos B, e Pneumocócica, que podem ser administradas a partir de dois meses de idade da seguinte forma:

Meningite C:
Crianças até um ano de idade, duas doses com intervalo de dois meses.
Crianças e adultos acima de um ano, dose única.

Pneumocócica:
De acordo com a idade, três doses e um reforço (Consulte o pediatra)

Hemófilos B:
Três doses e um reforço

· Escarlatina

Escarlatina é uma reação da pele em resposta à infecção da garganta (Amigdalite), causada por uma bactéria chamada Streptococo Beta Hemolítico do grupo A de Lancefield.

É caracterizada por vermelhidão na pele, de aspecto grosseiro de localização crânio – caudal, ou seja, inicia-se na cabeça e pode progredir para o resto do corpo, acompanhada de coceira e tem também um aspecto característico, em que a região em volta da boca fica esbranquiçada com as bochechas bem vermelhas dando um aspecto de “Tapa na cara” ou “Cara de Palhaço”.

O contato e a transmissão se dá de pessoa para pessoa, semelhante a transmissão de um resfriado, gripe, ou seja, pode se contaminar pelo ar.

A princípio não traz nenhum dano ao paciente infectado desde que tratado adequadamente sempre com orientação médica.

Não é necessário isolar o portador da escarlatina, uma vez que, tratando a Amigdalite, somem também as lesões da pele.

· Pneumonia

A pneumonia é uma infecção ou inflamação nos pulmões. Ela pode ser causada por vários micro-organismos diferentes, incluindo vírus, bactérias, parasitas ou fungos, porém 99% das pneumonias são causadas por bactérias, e destas, o pneumococo é o mais frequente. Esta doença é muito frequente e afeta pessoas de todas as idades. Muitas destas, anualmente, morrem por pneumonia.

Como se desenvolve?
Normalmente, a doença se desenvolve quando, por algum motivo, há uma falha nos mecanismos de defesa do organismo. A pneumonia pode desenvolver-se por alguns mecanismos diferentes:
Um deles, bem frequente, ocorre quando a pessoa inala um micro-organismo, através da respiração, e este chega até um ou ambos pulmões, onde causa a doença. Outra maneira frequente é quando bactérias, que normalmente vivem na boca, se proliferam e acabam sendo aspiradas para um local do pulmão.

Sinais e Sintomas
A pneumonia bacteriana clássica inicia abruptamente, com febre, calafrios, dor no tórax e tosse com expectoração (catarro) amarelada ou esverdeada que pode ter um pouco de sangue misturado à secreção. A tosse pode ser seca no início. A respiração pode ficar mais curta e dolorosa, a pessoa pode ter falta de ar e em torno dos lábios a coloração da pele pode ficar azulada, nos casos mais graves. Em idosos, confusão mental pode ser um sintoma frequente, além da piora do estado geral (fraqueza, perda do apetite e desânimo, por exemplo). Nas crianças, os sintomas podem ser vagos (diminuição do apetite, choro, febre). Outra alteração que pode ocorrer é o surgimento de lesões de herpes nos lábios, por estar o sistema imune debilitado. Em alguns casos, pode ocorrer dor abdominal, vômitos, náuseas e sintomas do trato respiratório superior como dor de garganta, espirros, coriza e dor de cabeça.

Importante
· Prevenção
Muitas vezes uma gripe ou resfriado podem preceder uma pneumonia, onde o processo viral evolui para um quadro bacteriano cuja prevenção contra o vírus influenza e a bactéria pneumococo são fundamentais. Para tentar evitar isso, vacinas foram criadas. Existe no mercado a vacina contra o vírus influenza (Causador da gripe) e outra contra a bactéria pneumococo (Causadora da Pneumonia), que podem diminuir as chances do aparecimento das doenças causadas por estes germes, sem efeitos colaterais.

5 – Devido ao calor excessivo que estamos enfrentando e a secura do ar, quais os cuidados com as crianças os pais devem cobrar da escola nessa situação?
Incentivar hidratação oral, salas bem ventiladas e nos berçários a Nebulização com inalação se necessário.

Bjs,

Vanessa Paiva

Participe da discussão

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *