Papo de Mãe

Porque decidi viver sem uma empregada doméstica

Antes de começar a escrever, gostaria de deixar bem claro que não estou criticando toda ma categoria ou dizendo que nenhuma empregada doméstica é boa. Estou somente relatando a minha péssima experiência com as pessoas que contratei.

Cansei de procurar por uma boa empregada doméstica. Mas o que é uma boa empregada doméstica pra mim? Uma pessoa comprometida, que conhece seus direitos e que cumpre os seus deveres. Que sabe que tem horário para entrar e para sair. E que entende, que seu trabalho é como qualquer outro e que você precisa se esforçar, saber ouvir e melhorar sempre!

Será que é pedir muito?

Sou uma pessoa super legal e flexível. Não sou chata, não fico “pegando no pé” e mesmo assim, não consegui encontrar uma pessoa comprometida com seu trabalho.

Comecei minha busca por uma boa faxineira. Não deu certo. Há 2 meses, por causa do acúmulo de tarefas, resolvi contratar uma empregada doméstica. Foi uma decepção atrás da outra.

Eu entendo que os funcionários domésticos em geral sempre foram muito explorados, sem direitos como trabalhadores que são. Mas espera, isso mudou! Agora as empregadas domésticas tem seus direitos garantidos. Só que, infelizmente, parece que elas querem usufruir dos direitos, sem assumir a responsabilidade dos deveres.

Existem sim, muitas patroas chatas, que querem explorar, mas também existem muitas que, como eu, estão dispostas a fazer de tudo para que haja uma convivência harmoniosa, onde existe respeito e cooperação. Afinal, é uma relação proveitosa para ambos! Mas nem assim a coisa está andando!

E outra, imaginem se todo mundo que tivesse patrão chato, pudesse se dar ao luxo de fazer o trabalho mal feito ou pedir demissão?

Durantes essa busca, eu ouvi muitas coisas – nas entrevistas e no período de experiência – que chamaram minha atenção. Frases como:

“Nossa, mas sua casa tem muito pó. Assim não dá!” (2 semanas de experiência)

“Nossa, mas sua casa é grande. Eu acho que não vou dar conta. Mas não posso ficar parada.” (entrevista)

“Quanto eu vou receber líquido? Você pode fazer a conta para eu ver se compensa?” (entrevista)

“Essa não é minha primeira opção de emprego, mas preciso trabalhar.” (entrevista)

“O horário é até as 17:00? Porque aqui, o ônibus passa lotado. Sair até umas 15:00 ainda é bom, depois não dá!” (entrevista)

“Eu trabalhava em uma casa com 43 cômodos, parava as 10:30 para cozinhar e dava conta de tudo, sem nenhum outro funcionário!” (Hein???? entrevista)

“Você é muito detalhista.” (Depois de pedir que ela enrolasse a mangueira direitinho, para não ficar toda ressecada e torta e pedir para ela levantar os poucos enfeites que tenho, para tirar o pó) (30 dias de experiência)

Depois de ouvir essas coisas, eu fiquei me perguntando: quem vai em uma entrevista de emprego e fala esse tipo de coisa? Quem sai 2 horas mais cedo do trabalho porque o ônibus passa cheio? Quem faz todo o trabalho correndo, porque acha que quando terminar aquele, vai poder ir embora?

Mesmo para quem nunca trabalhou fora, não é difícil de imaginar que não é assim que as coisas funcionam!!!

Comecei a ficar muito estressada. Passava o dia supervisionando as coisas. Afinal, você está pagando um funcionário, e você sempre espera o melhor dele. Pelo menos boa vontade e empenho.

Mas, infelizmente, não é isso que está acontecendo com muitas domésticas. Elas fazem tudo de qualquer jeito, querem sempre sair mais cedo e claro, nunca estão satisfeitas com o trabalho, com o salário, com o patrão.

Comecei a achar que o problema era comigo, até desabafar em um grupo de mães que temos aqui no condomínio. Dezenas de mães estavam enfrentando o mesmo problema: falta de empregadas domésticas qualificadas. Muitas, inclusive, depois de muito estresse, haviam desistido de ter uma funcionária todos os dias.

Não consigo entender onde essa relação não está dando certo. Precisamos de alguém para nos ajudar em casa. As empregadas domésticas precisam trabalhar. Era uma relação que teria tudo para dar certo!

Por essas razões, resolvi que, mesmo tendo que abrir mão de algumas coisas, vou ficar com uma faxineira, duas vezes por semana.

Minha casa é grande. Tenho um filho de 6 anos e 3 cachorros!

As pessoas me falam que é loucura ficar sem uma funcionária todos os dias. Que eu não vou dar conta de tudo. Talvez elas estejam certas.  Mas chega um momento em que você precisa decidir alguma coisa.

O que não dá, é contratar alguém, ser super legal, ajudar, ter o trabalho de fazer a documentação correta todos os meses e sentir que essa pessoa não está nem aí para a sua casa e para a sua família.

Em Campinas eu tinha uma funcionária em casa todos os dias. Ela realizava as tarefas básicas, só não cozinhava (algo que foi definido assim que a contratei). Ela era ótima e nos dávamos super bem! Se ela já teve vontade de me enforcar? Provavelmente! Mas a relação sempre foi de muito respeito.

Sempre fui uma pessoa super legal, nunca fui de pegar no pé, sou super flexível. Além disso, minha casa não é difícil de limpar.

Infelizmente, parece que muitas não estão dispostas a assumir sua função . Assumir, que não é porque elas trabalham dentro de uma casa, que podem fazer tudo de qualquer jeito, que podem fazer tudo correndo para sair mais cedo, que podem se dar ao luxo de ignorarem o patrão. Imagina se todo funcionário não aparecesse mais no trabalho, porque no dia anterior levou uma “chamada” do patrão?

Ah! No meio de todo esse caos, me indicaram uma faxineira muito boa! Super esforçada! Ela veio duas vezes na semana passada e deixou a casa ótima.

Se alguma empregada doméstica estiver lendo isso, por favor, faça uma reflexão sobre seu trabalho. Sobre como você está executando seu serviço. Como você pode melhorar. Converse com seu patrão (patroa), fale se algo não te agrada, pergunte onde você pode melhorar. E lembre-se, você é um funcionário com direitos que devem ser cumpridos e com deveres que devem ser bem executados.

Se você é a patroa, pense em como pode melhorar sua relação com sua funcionária. Ofereça um bônus se ela é esforçada. Deixe-a motivada. Não explore seus funcionários.

E você? Está tendo problemas com alguma funcionária na sua casa? Conte sua experiência nos comentários.

Depois eu volto para contar como está sendo minha rotina.

Bjs,

Vanessa

 

Comments are closed.