Papo de Mãe

Minha vida (quase) sem uma empregada doméstica

Antes tarde do que nunca!! Não, eu não abandonei o site!!! Mas minha rotina tem sido muito pesada e eu não consegui postar esses meses.

Além disso, depois de pensar muito, resolvi dar uma nova cara ao site. Mas isso fica para o próximo post!

 

Em Outubro do ano passado, escrevi um POST sobre minha trajetória em busca de uma empregada doméstica e como decidi viver sem ela!!

De Outubro até Fevereiro (4 meses), fiquei com a mesma faxineira, que vinha de terça e quinta.

Não foi fácil. Ainda mais no meu caso: casa grande, filho e 3 cachorros que ficam dentro o dia todo. Mas eu estava decidida a ficar assim. Custo menor, sem vínculo empregatício e todas as obrigações que isso gera, sem uma pessoa em casa todos os dias e sem os aborrecimentos que isso estava me gerando por não achar uma pessoa que estivesse disposta a trabalhar bem.

Mesmo sendo só 2x por semana, a faxineira ajudou demais e me economizou um tempo precioso, que usei  para organizar minha casa. Aliás, ORGANIZAÇÃO, é a palavra chave desse processo. E sem isso, eu não conseguiria manter a casa sozinha.

Em fevereiro, essa moça que estava vindo 2x na semana, me perguntou se eu não gostaria que ela viesse 3x, o que significava que eu teria que registrá-la. Conversamos um pouco e eu fiquei de pensar.

Pensei muito. Muito mesmo. Se eu precisava? Era óbvio que sim! Mas quando eu pensava em todas as minhas experiências anteriores, eu imediatamente desanimava.

Nesse meio tempo, decidimos nos mudar. Para variar, nossas mudanças são sempre meio malucas. Foi uma mudança relativamente simples (para uma casa na mesma rua!), mas só de pensar em todo o trabalho que eu teria, decidi contratar minha faxineira 3x por semana. E lá estava eu, novamente com uma empregada doméstica.

No meio desse caos que foi o ano passado, resolvi fazer um curso de Personal Organizer. Embora seja fácil encontrar muitas dicas pela internet, o curso abriu minha mente e hoje, aproveito muito mais as dicas que encontro e descarto aquelas que sei que não irão funcionar.

Acreditem, o que aprendi foi essencial nesse processo.

Depois de tudo realmente organizado – e não “arrumadinho” – no mudamos!!! E tive que começa tudo de novo!

Parece piada, mas bateu um desânimo! E só não foi pior, porque sabia que alguém viria me ajudar três dias na semana.

Faz 4 meses que mudamos e confesso que não consegui organizar tudo como eu gostaria. Mas o que já está em seu devido lugar, está muito bem dividido e organizado.

Com mais essa mudança, resolvi desapegar de muita coisa. Ainda não virei uma pessoa minimalista, mas consegui doar objetos que estavam guardados há muito tempo sem nunca serem usados. Eu nem lembrava que eles existiam.

E menos coisa, significa menos bagunça!

Além disso, todos os dias acordo focada em ser disciplinada. Confesso que, muitas vezes, não estou com a menor vontade, mas cheguei a conclusão de que isso gera muito mais estress e que semana muito frustrada quando vejo que a semana não rendeu.

Ainda preciso evoluir muito e se você não é naturalmente organizada e disciplinada, não vai acordar assim amanhã só porque decidiu agora. Mas traçar um objetivo, focar e criar o hábito, é um passo enorme.

Sobre minha funcionária: gosto muito da qualidade do trabalho dela, mas acho que nesse último mês ela está oscilando bastante. Não consigo entender porque isso acontece e, com isso, começo a me perguntar quanto ela irá continuar aqui. Enfim, é torcer para continuar dando certo.

Sempre me perguntam como eu faço para emitir os pagamento e deixar o processo de admissão da minha funcionária em ordem. Eu uso o site Doméstica Legal . Não é jába, não, ok!

Eu descobri esse site há uns 4 anos, quando pesquisava sobre direitos das domésticas, testei e achei bem funcional. Eu pago a anuidade do plano mais simples. Todo início do mês eu entro lá, emito a folha de ponta, os recibos e tiro dúvidas via e-mail quando preciso.

Confesso que a rotina sem uma funcionária todos os dias é muito mais cansativa e temos que avaliar como está nossa qualidade de vida. Não adianta você decidir fazer tudo sozinha e perceber que não tem mais tempo nenhum para você, para sua família e amigos.

Quando eu decidi pegar uma funcionárias três vezes na semana, também decidi não me estressar com algumas situações que eu sabia que iriam acontecer (situações de dia-a-dia que quem tem uma funcionária em casa sabe!).

Enfim, até agora não encontrei uma fórmula mágica para essa situação. estou tentando encontrar um equilíbrio!

Bjs,

Vanessa